Casamento

Casamento Lariz & Dudi: A Cerimônia

14 de dezembro de 2015
dudi_e_lariz_cerimônia_0001

Olá pessoal! Hoje, completamos 1 MÊS DE CASADOS e para comemorar essa data vai ter mais um post sobre o casamento! Para matar um pouco a curiosidade sobre como foi a nossa cerimônia ecumênica, hoje vamos compartilhar um pouco mais sobre ela aqui no blog.

Bom, vamos tentar explicar um pouquinho como foi. Eu sempre quis uma cerimônia de casamento que fosse leve, e aqui é a minha opinião pessoal, mas eu acho muito longas e muito massantes as cerimônias religiosas. Nossa cerimônia deve ter durado, no máximo, meia hora. Eu entendo que quem segue uma religião com certeza não se sente casado se não casa na sua igreja, ou com padre ou pastor, mas pra mim Deus está em todos lugares e tenho certeza que ele tava no nosso casamento.

dudi_e_lariz_cerimônia_0002

Quando decidimos que seria uma cerimônia ecumênica, eu pedi ao nosso querido amigo jornalista, Álisson Coelho, que tem o dom de se expressar maravilhosamente bem, que escrevesse um texto para a nossa cerimônia, contando a nossa história. Ele achou uma responsabilidade enorme, mas a gente sabia que estávamos em boas mãos. Com o texto dele em mãos, eu acrescentei a parte de ritualística, benção das alianças, etc.

dudi_e_lariz_cerimônia_0003

A nossa cerimonialista Magda nos indicou um celebrante aqui da nossa região mesmo, chamado Marcio Riegel. No nosso primeiro encontro, a gente já sabia que estava em ótimas mãos. Ele tinha ao mesmo tempo, uma calma e muita força e sensibilidade nas palavras que dizia, e era exatamente isso que a gente procurava. Depois de ler o nosso texto, aceitou fazer a nossa celebração!

dudi_e_lariz_cerimônia_0004

Nosso altar foi simples, exatamente como achamos que o amor deve ser. Duas goleiras de madeira sustentavam uma cortina de luzinhas e bastidores com renda, feitos pelas mãos habilidosas da minha sogra. Um tapete de juta e renda nos conduziu até o altar. E na mesa branca e simples, apenas vidros feitos por nós e pelas madrinhas decoravam tudo com flores leves.

dudi_e_lariz_cerimônia_0005

dudi_e_lariz_cerimônia_0006

O TEXTO DA CERIMÔNIA

“Boa noite, meu nome é Márcio. Estamos aqui hoje para celebrar as melhores coisas da vida. Estamos aqui para celebrar o amor, a confiança, a cumplicidade e a esperança.

Vocês foram convidados para compartilhar este momento com a Larissa e com o Eduardo porque são as pessoas mais importantes para eles. O respeito, a compreensão e o carinho que sustentam o relacionamento deles têm suas raízes no amor que todos vocês deram a este jovem casal. Por isso, é uma honra para os noivos contar com a sua presença, aqui, hoje. Embora muitos não morem exatamente ali na esquina, vocês nunca estão distantes dos corações da Larissa e do Eduardo. Vocês são parte insubstituível do seu ontem, do seu hoje e de todos os seus amanhãs. Um casamento precisa de família e de amigos, não apenas para amparar o casal nos momentos de adversidade, mas também para celebrar junto os momentos de alegria. Que todos nós possamos sempre fazer tudo o que esteja ao nosso alcance para apoiar e nutrir a união entre estas duas pessoas que tanto amamos.

dudi_e_lariz_cerimônia_0007

Esta noite, recordamos também aqueles que não se encontram fisicamente nesta cerimônia, mas que se fazem presentes em nossos corações. Lembramo-nos com especial saudade e carinho do Sr. Marcelo, pai do Eduardo, a quem os noivos sempre dedicarão parte de sua felicidade.

dudi_e_lariz_cerimônia_0010

De todos os riscos que corremos na vida, o mais sagrado deles é o risco do acaso. Quando se assume esse risco, substitui-se o destino pela infinidade de probabilidades, a história pronta pela história a ser construída, o fim programado pela incerteza do que vem pela frente.

dudi_e_lariz_cerimônia_0008

A Larissa e o Eduardo tiveram essa coragem. Porque se tem algo que podemos falar deles é que se existisse essa coisa de “curso natural da história”, nós não estaríamos todos aqui reunidos. Juntos, eles fizeram a fórmula do acaso ter um final feliz.

dudi_e_lariz_cerimônia_0009

Convenhamos que as probabilidades desse encontro eram mínimas para duas pessoas que cresceram separadas por 800 quilômetros entre o frio (e o calorão) de Campo Bom e as praias de São Vicente. Mas mesmo com probabilidades mínimas de se encontrarem, um dia eles se viram. Ou não se viram, se falaram. E optaram por se falar um pouco mais. Deixaram que o acaso de um encontro fosse diminuindo uma distância que chegou a parecer a insuperável.

dudi_e_lariz_cerimônia_0012

Não fosse o fanzine do Eduardo com os amigos, ou as postagens das barbies atropeladas – palavras do Eduardo – que a Larissa fazia no Fotolog… Se o Eduardo tivesse encontrado o frio que queria, o frio canadense, ou se a Larissa tivesse ficado com o frio de Caxias.

dudi_e_lariz_cerimônia_0013

E, principalmente, se não fossem os olhos que teimam em se encontrar apesar do brilho artificial das telas, e que teimam em brilhar mais do que as próprias telas… Mas se encontraram. E então usaram várias tecnologias modernas para se conhecerem melhor.

Até que o Eduardo atravessou meio Brasil. Deixou uma família preocupada em São Paulo, que logo se tranquilizou quando viu que ele foi acolhido por uma família calorosa no Rio Grande do Sul. Veio sem a certeza de que poderia ver os olhos que queria encontrar todos os dias. Veio sem saber se venceriam o “ses” contrários.

dudi_e_lariz_cerimônia_0014

Se o Eduardo tivesse mesmo ido embora naquele dia em que decidiu avisar pra Larissa que voltaria para São Paulo. Ou então tivesse sucumbido ao ódio por trabalhar com sapatos… talvez nós não estivéssemos aqui hoje. Assim, brincando com o acaso, embaralhando as probabilidades, a Larissa e o Eduardo ficaram juntos. E um dia,em uma vitrine do Bourbon, reconheceram mais uma parte da família, de quatro patas e muito pelo.

dudi_e_lariz_cerimônia_0015

Nesse momento, em uma cerimônia religiosa tradicional, o celebrante estaria perguntando se a Larissa e o Eduardo prometem amar e respeitar um ao outro na alegria e na tristeza, na saúde e na doença todos os dias das vidas deles. Essas, obviamente, são coisas muito importantes a se perguntar aos noivos. As respostas a esses questionamentos, no entanto, já foram dadas há muito tempo.

dudi_e_lariz_cerimônia_0016

Porque os acasos já trouxeram muita felicidade, mas também trazem desafios e dificuldades, todos os dias. E vocês responderam ao acaso dizendo que já não importa o que ele trouxer, vocês vão viver ou superar isso juntos. Hoje é a oportunidade de dizer publicamente que toda essa história está só começando. De reunir quem se ama e esperar pelo acaso. Uma espera que já não é mais solitária, é dividida.

dudi_e_lariz_cerimônia_0017

Larissa e Eduardo, vocês já foram muitas coisas um do outro – amigos, companheiros, sócios, namorados, noivos, e até mesmo professores e alunos, pois vocês já ensinaram muito um ao outro e já aprenderam muito um com o outro, nestes últimos anos. Agora, com as palavras que vocês estão prestes a trocar, vocês passarão para a próxima fase.

Pois, com estes votos, vocês estarão dizendo ao mundo: “este é meu esposo”, “esta é minha esposa”.

Larissa, é de livre e espontânea vontade que você aceita o Eduardo como seu companheiro em matrimônio? 

Larissa: Sim.

dudi_e_lariz_cerimônia_0018

Eduardo, é de livre e espontânea vontade que você aceita a Larissa como sua companheira em matrimônio? 

Eduardo: Sim.

dudi_e_lariz_cerimônia_0019

E agora… as alianças.

dudi_e_lariz_cerimônia_0020

(As nossas alianças, foram trazidas até nós na gravata do nosso cãozinho Dylan, o irmão do nosso afilhado Davi conduziu o Dylan até ao altar, e os dois foram super fofos! Eu costurei todo o mini traje do Dylan e ele estava maravilhoso ♥)

dudi_e_lariz_cerimônia_0021

dudi_e_lariz_cerimônia_0022

As alianças são símbolos físicos do compromisso de um casal e de sua ligação emocional e espiritual. Elas são consideradas um círculo perfeito, sem começo nem fim. Mas nós sabemos que estas alianças tiveram um começo. O material foi retirado da terra. Os metais foram liquefeitos, forjados, refrigerados e polidos. Algo belo foi produzido a partir de elementos brutos.

dudi_e_lariz_cerimônia_0023

O amor é assim. Tem origens humildes, pois vem de seres imperfeitos. O amor é o processo de construir algo belo com coisas simples.

Larissa e Eduardo, que estes anéis sejam um lembrete visível de seus sentimentos um pelo outro neste momento. Ao olhar para eles, lembrem-se que vocês têm alguém especial com quem compartilhar suas vidas. Lembrem-se de que vocês se encontraram um ao outro e um no outro, e de que nunca mais andarão sozinhos.

Mesmo estando em uma cerimônia não religiosa, me coloco na humilde condição de Filho de Deus para neste momento na fé que professo, pedir a ele que derrame suas bênçãos sobre estas alianças e sobre a Larissa e o Eduardo. Peço aos pais e aos padrinhos que estendam a mão direita, e que juntos, desejem suas bênçãos para a Larissa e o Eduardo.

dudi_e_lariz_cerimônia_0024

Eduardo: Larissa, eu te dou esta aliança como sinal de que escolhi você para ser minha companheira e minha melhor amiga, minha esposa. Receba-a e saiba que eu te amo.

cerimônia

Larissa: Eduardo, eu te dou esta aliança como sinal de que eu escolhi você para ser meu companheiro e meu melhor amigo, meu esposo. Receba-a e saiba que eu te amo.

dudi_e_lariz_cerimônia_0026

Pelo poder do amor e da escolha, eu vos declaro: marido e mulher. Noivo, pode beijar a noiva!”

cerimônia

dudi_e_lariz_cerimônia_0028

dudi_e_lariz_cerimônia_0029

E seremos felizes para sempre ♥

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Rê Becker Wentz 14 de dezembro de 2015 at 14:55

    lindooo, q lugar, q momento!

    Aiii Dylan fofuxãooo, participação maissssss q especial <3 não poderia ficar de fora mesmo!

    bjooo

  • Reply Rejane Herzer 17 de dezembro de 2015 at 07:42

    Gente, que momento lindo!
    Linda a cerimônia, a decoração, o lugar, mas acima de tudo a emoção e o sentimento que está transbordando até das fotos.
    Parabéns!

  • Reply Camila Trindade 10 de maio de 2017 at 15:53

    Será que vc topa alugar esse tapete? Ele é incrível… seria ótimo poder reusa-lo.

  • Deixe uma resposta